Na Imprensa

MPMG firma Termo de Cooperação Técnica para registrar a cerâmica artesanal de Turmalina como patrimônio imaterial



A Procuradoria-Geral de Justiça, com interveniência da Promotoria de Justiça de Turmalina, no Vale do Jequitinhonha, e a Faculdade Santo Agostinho de Montes Claros (FADISA) assinaram, em março, um Termo de Cooperação Técnica para promover o registro da cerâmica popular do município como patrimônio histórico e cultural.
 
O artesanato da cerâmica é uma consequência do cenário socioambiental e econômico, que, muitas vezes, obrigou as mulheres de Turmalina a criarem fontes alternativas de renda. Dessa forma, a prática caracterizou-se como bem cultural imaterial por apresentar uma forte expressão popular e histórica. 
 
Como explica a promotora de Justiça de Turmalina, Shirley Machado de Oliveira, a cerâmica representa a força da mulher do “Vale”. “É uma região que tem dificuldade de água, de trabalho, de recursos. Neste contexto, o artesanato da cerâmica tem um sentido de resistência, é uma expressão de força. As artesãs também têm uma relação de conexão com a natureza. Elas são muito gratas pelo barro e pela lenha. É um trabalho feito ao ar livre. ”
 
O projeto social prevê a realização da instrução do processo de registro, a partir de levantamento bibliográfico para a pesquisa do referencial teórico e compreensão do bem cultural imaterial a ser registrado, além de pesquisa de campo de caráter etnográfico para caracterização do bem cultural imaterial.
 
Além disso, o escopo do projeto contempla a realização de reuniões, audiências públicas com as artesãs e respectivas associações, comunidade local, entidades da sociedade civil, Secretaria de Cultura, Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (CMPHC), Executivo e Legislativo para esclarecimento do processo de registro e de seus resultados, o que já está em curso.
 
A promotora Shirley Machado entende que após o registro, as artesãs podem melhorar a própria condição de vida. “Depois do registro, a ideia é que tenhamos algumas ações de proteção de salvaguarda desse bem. A partir disso, é possível vislumbrar que as artesãs consigam garantir uma revenda melhor dos produtos. 


Foto: Divulgação
  


Mais na Imprensa

Diretoria participa de posse no MPMG

A diretoria da Associação Mineira do Ministério Público participou, no dia 11 de junho, de posse da Procuradora de Justiça, Lais Maria Costa Silveira Penna, em Sessão Ordinária da Câmara dos Procuradores de Justiça.

Natural de Belo ...